<$BlogRSDUrl$>

mundo
Todas as coisas têm o seu mistério
e a poesia
é o mistério de todas as coisas

Federico García Lorca

Sendo este um BLOG DE MARÉS, a inconstância delas reflectirá a intranquilidade do mundo.
Ficar-nos-á este imperativo de respirar o ar em grandes golfadas.
maio 29, 2015

sugestão: e, agora, a Marinhais,
em homenagem a António Feio

Dia 30, pelas 21 horas. Ver cartazes:


Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 10:33


maio 27, 2015

Abril - Um Modo de Ser
nas Caldas da Rainha

Pois foi assim, no passado sábado, dia 23 de Maio, na Biblioteca Municipal das Caldas da Rainha, com o apoio da Comunidade de Leitores e Cinéfilos das Caldas da Rainha, com a apresentação do meu Abril - Um Modo de Ser

... com a apresentação do meu Abril - Um Modo de Ser.

 
 Palmira Gaspar, da Comunidade de Leitores, inicia a sessão , com a apresentação sumária do que estava para vir...

... perante uma audiência que, do início ao fim da sessão, preencheu muito confortavelmente todo o grande auditório da Biblioteca.  

O autor estava, obviamente, muito feliz por ter nascido...

 A pianista Maria Rodrigues que acompanhou o Coral das Caldas da Rainha...

... aqui apresentado por Carlos Gaspar, da Comunidade de Leitores.

 - O Maestro Joaquim António Silva, que dirige o Coral das Caldas da Rainha...


... grupo que brindou os presentes com uma muito apelativa selecção das Canções Heróicas,
de Fernando Lopes Graça, com nota muito alta na sua interpretação.

- Como surpresa para a organização da sessão, Alexandre Castro refere o seu envolvimento no projecto Abril - Um Modo de Ser, que transcendeu, largamente, a sua responsabilidade técnica...

... e que prendeu a atenção da assistência pelo desassombro, empenho e lucidez demonstrados.

- Coube, depois, a vez ao músico e professor de música e tanta coisa mais em redor da Música, Walter Lopes, que juntou à mestria da sua interpretação em guitarra clássica...  

... um surpreendente e saudavelmente provocador conhecimento profundo do fenómeno musical, com que sempre nos enriquece nas diversas ocasiões em que temos tido o prazer de o ouvir.

E, logo mais, música, de novo, daquela de encher a alma.

Entrei eu, depois, para a apresentação da obra, que contou com o apoio, na sua realização, da Associação 25 de Abril e da Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras, respectivamente através também de prefácios de Vasco Lourenço e de Joaquim Boiça, e da empresa gráfica Norprint.


Sugeri, entretanto, que a assistência acompanhasse alguns dos poemas que fui dizendo, através da sua leitura no livro entretanto distribuído pelos presentes, pois tal exercício suscita, geralmente, um mais eficaz entendimento da palavra dita.

 O «improviso escrito» flui sem qualquer esforço aparente, temperado que já vai estando este projecto pelas sucessivas apresentações que ocorreram...

  ... desde o Congresso da Cidadania, de Março passado, proposto e organizado pela Associação 25 de Abril, onde ocorreu o lançamento deste livro.

 Por fim, Heloisa Monteiro...

 ... acompanhando Mário Piçarra...

... transportaram-nos, música fora, por uma boa parte daquele sonho que comanda a vida , 


 ... através de trechos que nos trouxeram os grandes temas que norteiam a busca permanente da Utopia, dos quais, com frequência, temos andado tão arredados.  


 No final da sessão, a nossa anfitriã e responsável pela Biblioteca Municipal das Caldas da Rainha, Aida Reis, pronunciou-se sobre o muito bom nível de toda a sessão, para o que - digo eu - muito contou a sua sempre amável, interessada e eficaz presença activa, de quem contamos invariavelmente com a melhor colaboração que, aqui, uma vez mais e sempre, se manifesta, enaltece e agradece.
  
E nem vos passa pela cabeça quantos autógrafos tive de elaborar. 
Vaidades...? E porque não?

- Fotografias de Lourdes Calmeiro

Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 00:55


maio 21, 2015

convite
- Abril - Um Modo de Ser
dia 23 de Maio nas Caldas da Rainha


No próximo dia 23 de Maio (sábado), pelas 15 horas, na Biblioteca Municipal das Caldas da Rainha e com o apoio da Comunidade de Leitores e Cinéfilos das Caldas da Rainha, farei a apresentação do livro Abril – Um Modo de Ser, de minha autoria, com prefácio de Vasco Lourenço e de Joaquim Boiça, respectivamente, presidentes da Associação 25 de Abril e da Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras, instituições que, a par da empresa gráfica Norprint, apoiaram a confecção deste livro, que teve o seu lançamento no Congresso da Cidadania, patrocinado pela Associação 25 de Abril em Março passado, na Fundação Calouste Gulbenkian.

No evento terei o prazer e a honra de ser acompanhado pelo Coral das Caldas da Rainha, por Walter Lopes, músico e professor de música, e por Heloisa Monteiro (viola) e Mário Piçarra (composição e voz). Quanto aos temas previstos, é por Abril que vamos, obviamente. O Grupo Coral das Caldas, nomeadamente, trará as Heróicas de Fernando Lopes Graça. Mais surpresas...? Talvez contemos ainda com mais alguma...

Do livro Abril – Um Modo de Ser consta um conjunto de fotografias, de minha autoria, obtidas em Lisboa, no dia 25 de Abril de 1974, imagens que são pano de fundo de 26 poemas, também de minha autoria, alusivos à data ou ao tema.

A obra conta com uma arrojada composição gráfica concebida por Alexandre Castro, acompanhado por Cristiana Fertuzinhos, e teve impressão na referida empresa gráfica Norprint.

Lá vos espero, mormente àqueles amigos mais instalados na região centro de Portugal, com um abraço, vários afectos… e o livro. 




Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 10:39


maio 17, 2015

vejam bem... (II) - pequeno desenvolvimento

No seguimento da entrada, em 15 de Maio p.p., com este mesmo título (vejam bem...), um amigo meu - a quem vou nomear apenas como JF por reserva de confidencialidade - contactou-me por telefone e com habitual e esperada frontalidade, legitimamente agastado por aquilo que ele considerou - e com alguma razão, a meu ver - eu ter «deixado no ar» uma crítica social de que transpareceria ser o valor da obra de arte a causa da minha diatribe... 

Estou, obviamente a simplificar a densidade da conversa telefónica, cordialíssima, aliás, como se espera de bons amigos que - oh, curiosidade! - ainda para mais se respeitam, mas sim para obstar ao sofrimento dos meus improváveis leitores para me aturarem neste desenvolvimento.

Tive, assim, oportunidade de esclarecer que, muito de acordo com a opinião de que uma obra de arte, em si, terá até um valor incalculável ou imaterial enquanto património da humanidade, o artista necessita de comer e de beber todos os dias e, daí, haver de se lhe atribuir - à obra de arte produzida - um valor muito material que o sustente. 

Até aqui, estamos em enormíssimo acordo.

A minha reflexão - onde também contraponho e sublinho a minha própria situação de privilégio em relação a imensas maiorias de cidadãos por esse mundo fora - é tão-só o alerta possível relativamente a esse mundo em que um qualquer indivíduo, cidadão como os demais, se pode guindar ao estatuto de transaccionar um bem como o quadro de Picasso de que aqui se fala por aquele valor anunciado - do qual convirá também referir que o próprio autor já não está em condições de usufruir a mais ínfima parte. 

E se Picasso, em vida, não teve desmesurados problemas de sustento, isso não ocorre com uma imensa maioria de artistas de desvairadas disciplinas, por esse mundo fora.

A distorção social a que chegamos - e da qual quase nem damos conta - que subjaz à capacidade do indivíduo ou da instituição dispor de tais astronómicas verbas, a despeito do mundo à sua volta se encontrar imerso na desgraça da fome, no meio da sociedade da abastança, isso sim é que reputo de irracional e obsceno.

Outro aspecto a considerar tantas vezes, é que a apropriação particular ou privada da obra de arte vai, afinal, sonegar do grande público o seu acesso, encerrada que fica em catacumbas securitárias pelo incomensurável valor que lhe foi atribuído por corpos estranhos ao acto criativo.

Depois, se olharmos para a progressiva indigência em que vai mergulhando, por toda a parte, o mundo da arte e da cultura, onde o autor hoje miserável e a viver de amigos, tem a sua obra incensada e finalmente valorizada depois da sua morte, mais arrepiante se me depara aquela obscenidade...

Por fim, dir-se-á que tudo isto tem muito que ver com a «natureza humana», expressão com as costas largas de acolher os desmandos que passem pela cabeça e pelo poder de compra de cada um. Mas em que parte dessa «natureza» fica, depois, a destruição do património da humanidade a que estamos a assistir, quase impávidos, por parte de uma aberrante seita numa guerra insensata (como todas são, ainda que umas mais do que outras, se me perdoarem a contradição…) que foi suscitada e é alimentada por esta magnífica sociedade ocidental em que estamos e somos?

A obra de arte, como tal reconhecida, integra o nosso património e dela, numa sociedade da Utopia, apenas deveria colher benefício material imediato o seu autor, enquanto elemento fundador dessa sociedade.

Para todos os demais, mormente após a inexorável morte do autor, interessaria assumir a consciência de que a obra de arte pertence ao mundo e dela deveriam desfrutar todos e por ela todos deverem ser atentos responsáveis e os mais fiéis guardadores.  

Falta aqui Escola, muita Escola, claro, para que esta Utopia se materialize. E sobra, por outro lado, muita cegueira do lucro parasitário. Mas, já diria Galileu, contudo a Terra move-se e, assim sendo, o mundo pula e avança…

Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 11:30


maio 15, 2015

Estes títulos matam-me...


O banqueiro escondeu os 6 milhões no offshore da mulher (?);

... ou o banqueiro escondeu da mulher, num offshore, os 6 milhões;

... e será possível que a mulher do banqueiro tenha um offshore dela? 

... mas, afinal, os 6 milhões eram dele ou da mulher?

Etiquetas: ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 15:10


maio 13, 2015

vejam bem...

Um quadro de Picasso (As Mulheres de Argel  - versão O) tornou-se na segunda-feira a tela mais cara alguma vez vendida em leilão, ao ser adjudicada por 179,3 milhões de dólares (161 milhões de euros). Mas houve mais recordes em Nova Iorque (...).
(In http://www.dn.pt/inicio/artes/interior.aspx?content_id=4562831)

Há qualquer coisa de admirável no mundo que todos ajudamos a construir. Vejamos:

Hoje, eu, afortunado cidadão de um país do mundo ocidental, almocei. Pedi uma dose de coelho grelhado (e metade do animal vinha na travessa), acompanhado com esparregado e batatas a murro; reguei tudo com um belo tinto (reserva), comi um pão e bebi o café e, chegado ao fim, custou-me esta aventura qualquer coisa como 12 (doze) euros. O restaurante é normal, bem frequentado por clientes normais. Enfim, interessa o que interessa: satisfeito, eu paguei 12 euros.

E dei por mim a magicar nestas extraordinárias transcendências:

- 161.000.000 € - e, notem bem, por UM simples quadro, ainda que de Picasso -, a 12 € por refeição, dariam para  13.416.666 refeições idênticas ou, dito de modo mais prosaico e considerando que o ser humano poderá ingerir duas refeiçõezitas destas ao dia e que o ano tem, geralmente, 365 dias (logo 630 refeições destas),  21.296 seres humanos poderiam alimentar-se, durante um ano, só com este quadro.

Por outro lado

- 161.000.000 € - e sempre o mesmo quadro de Picasso - se considerarmos que, em África, o rendimento diário per capita, em vários países, ronda UM €, poderá levar-nos à seguinte contabilização: 50 anos são 18.250 dias e, assim sendo, aquele montante permitiria que 8.822 seres humanos pudessem sobreviver durante 50 anos... e, outra vez, apenas com este quadro.

Este raciocínio é tão pornográfico, tão escabroso, tão obsceno que estou em crer que desta vez é que me encerram o blog... 

Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 15:09


maio 12, 2015

ramal da Lousã finalmente reaberto após intervenção de elemento do elenco governamental...

Eu sei que não será de gente bem formada bater nos fracos e desamparados, mas encontrei-lhe, nesta imagem, algo de formativo e bem executado... 


Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 14:58


maio 08, 2015

Sugestões/convites para este fim de semana

Aqui vos deixo duas sugestões, que terão lugar em Oeiras, e que reputo do maior interesse:


- No dia 08 de Maio, pelas 21 horas, na Biblioteca Operária Oeirense, a sessão anual de Madrugada de Poesia:

MADRUGADA DA POESIA NA BIBLIOTECA OPERÁRIA OEIRENSE
(Rua Cândido dos Reis, 119 – Oeiras)

Sexta feira dia 08 de MAIO 2015 A PARTIR DAS 21H00

INSCREVA-SE JÁ! 

(tel: 21 442 66 91 / 962050304 – dias úteis das 15h00 às 19h00) 

TRAGA OS SEUS AMIGOS!


- No dia 09 de Maio (sábado), também em Oeiras e com a presença de José António Barreiros, o programa (que pode ler-se abaixo) e que é proposto pela Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras

Chamo-vos a atenção para o facto de a Assembleia Geral e o almoço proposto serem dois actos distintos e diferenciados, sendo que o almoço está aberto a quem nele queira participar, associado ou não, bastando para tal inscrever-se, conforme dados indicados. 

Imperdível, digo eu.


Caros Associados,

Aproveitando o ensejo de nos reunirmos em Assembleia Geral no próximo dia 9 de Maio, vamos dar inicio às nossa tertúlias à volta dum livro. Desta vez vamos começar com o, sobejamente conhecido, advogado e autor, Dr. José António Barreiros e um tema e um período muito interessantes, a Neutralidade e a Duplicidade: o jogo das sombras na guerra secreta em Portugal (1939-1945) e o seu livro Traição a Salazar.


O almoço terá lugar às 13h, a realizar no restaurante AERLISCafé, nas instalações da AERLIS (onde também é a Assembleia Geral), em frente ao shopping Oeiras Park e do parque dos Poetas, ao lado da CM Oeiras e tem estacionamento à volta do edifício. Espero que estejam na AG, que se realiza antes mas se não estiver presente e se vier de transportes (se não tiver uma boleia) existem transportes públicos directos, desde a estação da CP de Oeiras e de Paço d’Arcos.



Aceda ao croqui de localização da AERLIS

Conheça o percurso através do Googlemaps

Coordenadas GPS: Latitude – 38º 42´ 12´´ N - Longitude – 09º 18´ 02´´ W; 

É necessária a inscrição prévia para o almoço (nome, telefone e email se possível).
Prato de Carne: Carne assada no forno com batata, arroz e salada , ou
Prato de Peixe: bacalhau a gomes de Sá
Sobremesa: bolo encharcado
Inclui: Vinho, Sumos, Água e Café

PREÇO - 15,00€ para Sócios, 20€ para Não sócios

(Nota: Quem quiser algum prato vegetariano ou de dieta deve avisar previamente)

Esperamos pelos Vossos emails com as preferências gastronómicas e por favor, avisem os amigos que não têm email ou possam andar distraídos.

Os melhores cumprimentos
ESPAÇO e MEMÓRIA
Associação Cultural de Oeiras 

Rua Professor Mota Pinto, Loja N.º 10,
Bairro do Pombal,
2780-275 OEIRAS

Apartado 184
2781-851 Oeiras

Tel: +351 21 441 99 51
www.espacoememoria.org

Etiquetas: , , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 14:34


maio 04, 2015

apoio, obviamente, António Sampaio da Nóvoa
na sua candidatura à Presidência da República

Está dito e está feito.

Motivação: esperar a mudança, que urge, em qualquer das suas vertentes, tendo sempre no centro das preocupações a mulher e o homem - que eu sou e que tu és.

Como «relatório preliminar» um brevíssimo comentário: assisto com incredulidade à imensidão de comentadores «preocupados» com a falta de conhecimento que o povo terá relativamente ao candidato Sampaio da Nóvoa. Muito bem, divulguem-no, então.

Mas de quantos candidatos a qualquer coisa se poderá dizer o mesmo? Muito mal comparado, quem conhecia Cavaco Silva aquando da sua rodagem do carrito até Aveiro, rodagem que, aliás, ainda hoje continua? E não se alcandorou, logo a seguir, a uma maioria em eleições?  

Deixemo-nos, pois, de tretas e avancemos sem medo nem mentores ideológicos, que a cabeça de cada um, salvo erro e omissão, foi feita para pensar.

Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 10:33


Arquivo:
Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017 Junho 2017 Julho 2017 Agosto 2017 Setembro 2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?Weblog Commenting by HaloScan.com



noites com poemas 2


capa do livro Farândola do Solstício
Obras publicadas
por Jorge Castro

contacto: jc.orca@gmail.com

Autor em

logo Apenas

Colaborador de

logo IELT

Freezone

logo Ler Devagar


Correntes de referência:
80 Anos de Zeca
... Até ao fim do mundo!
Aventar
Encontro de Gerações (Rafael)
É sobre o Fado (João Vasco)
Conversas do Café Grilo
Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras
Final Cut - o blogue de cinema da Visão
Oeiras Local
O MOSCARDO
Poema Dia
Profundezas

Correntes de proximidade:
A Funda São
Amorizade (Jacky)
A Música das Palavras (Jaime Latino Ferreira)
Anomalias (Morfeu)
Ars Integrata
Ars Litteraria
Ars Poetica 2U
As Causas da Júlia (Júlia Coutinho)
As Minhas Romãs(Paula Raposo)
Belgavista (Pessoana)
Blogimmas
Blogotinha
Bloguices
Câimbras Mentais (AnAndrade)
Carlos Peres Feio
chez maria (maria árvore)
Coisas do Gui
deevaagaar
Divulgar Oeiras Verde (Ana Patacho)
e dixit (Edite Gil)
Fotos de Dionísio Leitão
Garganta do Silêncio (Tiago Moita)
Isabel Gouveia
Itinerário (Márcia Maia)
Metamorfases
Mudança de Ventos (Márcia Maia)
Mystic's
Nau Catrineta
Notas e Comentários (José d'Encarnação)
Novelos de Silêncio (Eli)
Pedro Laranjeira
o estado das artes
Palavras como cerejas (Eduardo Martins)
Parágrafos Inacabados (Raquel Vasconcelos)
O meu sofá amarelo (Alex Gandum)
Persuacção - o blog (Paulo Moura)
Queridas Bibliotecas (José Fanha)
Raims's blog
Relógio de Pêndulo (Herético)
Risocordeluz (Risoleta)
Rui Zink versos livros
Repensando (sei lá...)
sombrasdemim (Clarinda Galante)
Tábua de Marés (Márcia Maia)
Valquírias (Francília Pinheiro)
Vida de Vidro
WebClub (Wind)

Correntes de Ver:
desenhos do dia (João Catarino)
Esboço a Vários Traços

Correntes Auspiciosas:
ABC dos Miúdos
Manifesto-me
Netescrita
Provérbios

Correntes Favoráveis
A P(h)oda das Árvores Ornamentais
Atento (Manuel Gomes)
A Paixão do Cinema
A Razão Tem Sempre Cliente
A Verdade da Mentira
Bettips
Blog do Cagalhoum
Cadeira do Poder
CoeXist (Golfinho)
Congeminações
Crónica De Uma Boa Malandra
Desabafos - Casos Reais
Diário De Um Pintelho
Editorial
Escape da vida...
Espectacológica
Eu e os outros...
Eu sei que vou te amar
Fundação ACPPD
Grilinha
Há vida em Markl
Hammer, SA
Horas Negras
Intervalos (sei lá...)
João Tilly
Lobices
Luminescências
Murcon (de JMVaz)
Nada Ao Acaso
NimbyPolis (Nilson)
O Blog do Alex
O Bosque da Robina
O Jumento
(O Vento Lá Fora)
Outsider (Annie Hall)
Prozacland
O Souselense
O Vizinho
Palavras em Férias
Pastel de Nata (Nuno)
Peciscas
Pelos olhos de Caterina
Primeira Experiência
Publicus
Puta De Vida... Ou Nem Tanto
Santa Cita
The Braganzzzza Mothers
Titas on line
Titas on line 3
Senda Doce
TheOldMan
Traduzir-se... Será Arte?
Um pouco de tudo (Claudia)
Ventosga (João Veiga)
Voz Oblíqua (Rakel)
Zero de Conduta
Zurugoa (bandido original)

Corrente de Escritas:
A Arquitectura das Palavras (Lupus Signatus)
Além de mim (Dulce)
Ana Luar
Anukis
Arde o Azul (Maat)
Ao Longe Os Barcos De Flores (Amélia Pais)
Babushka (Friedrich)
baby lónia
Branco e Preto II (Amita)
Biscates (Circe)
blue shell
Cartas Perdidas (Alexandre Sousa)
Chez Maria (Maria Árvore)
Claque Quente
2 Dedos de Prosa e Poesia
Escarpado (Eagle)
Erotismo na Cidade
Fôlego de um homem (Fernando Tavares)
Há mais marés
Humores (Daniel Aladiah)
Insónia (Henrique Fialho)
Klepsidra (Augusto Dias)
Letras por Letras
Lua de Lobos
Lus@arte (Luí­sa)
Mandalas Poemas
Menina Marota
Novos Voos (Yardbird)
O Eco Das Palavras (Paula Raposo)
Porosidade Etérea (Inês Ramos)
O Sí­tio Do Poema (Licínia Quitério)
Odisseus
Paixão pelo Mar (Sailor Girl)
Palavras de Ursa (Margarida V.)
Palavrejando (M.P.)
Poemas E Estórias De Querer Sonhar
Poesia Portuguesa
Poetizar3 (Alexandre Beanes)
Serena Lua (Aziluth)
Sombrasdemim (Maria Clarinda)
Sopa de Nabos (Firmino Mendes)
T. 4 You (Afrodite)
Uma Cigarra Na Paisagem (Gisela Cañamero)
Xanax (Susanagar)

A Poesia Nos Blogs - equipagem:
A luz do voo (Maria do Céu Costa)
A Páginas Tantas (Raquel)
ante & post
As Causas da Júlia
Cí­rculo de Poesia
Confessionário do Dilbert
Desfolhada (Betty)
Estranhos Dias e Corpo do Delito (TMara)
Extranumerário (GNM)
Fantasias (Teresa David)
Fata Morgana... ou o claro obscuro
Jorge Moreira
MisteriousSpirit (Sofia)
Passionatta (Sandra Feliciano)
Peças soltas de um puzzle
Poemas de Trazer por Casa e Outras Estórias - Parte III
Poesia Viva (Isabel e José António)
Poeta Salutor (J.T. Parreira)
Que bem cheira a maresia (Mar Revolto-Lina)
Sais Minerais (Alexandre)
Silver Soul
Sombra do Deserto (Rui)

Navegações com olhos de ver:
Em linha recta (lmatta)
Fotoescrita
gang00's PhotoBlog
Nitrogénio
Objectiva 3
Pontos-de-Vista
Rain-Maker
O blog da Pimentinha (M.P.)
Passo a Passo
Portfólio Fotográfico (Lia)
Words (Wind)

Já navegámos juntos...
Aliciante (Mad)
A Rádio em Portugal (Jorge G. Silva)
Atalhos e Atilhos
Cu bem bom
Encandescente
Geosapiens
Incomensurável
Isso Agora...
Letras com Garfos (Orlando)
Luz & Sombra
Pandora's Box
Pés Quentinhos
Praça da República em Beja (nikonman)
SirHaiva
Testar a vida
Tuna Meliches

Correntes de Consulta:
Abrupto
A Lâmpada Mágica
Aviz
Blogopédia...
Bloguítica
Contra a Corrente
Contra a Corrente
Conversas de Merda
Cravo e Canela
Do Portugal Profundo
Inépcia
Médico explica medicina a intelectuais
Oficina das Ideias
Portugal No Seu Pior
Professorices
República Digital
Retórica e Persuasão
Ser Português (Ter Que)
You've Got Mail

Correntes interrompidas:
A Nau Catrineta (zecadanau)
Aroma de Mulher (Analluar)
A Voz do Fado!
blog d'apontamentos (Luí­s Ene)
Catedral (ognid)
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 2
CORART - Associação de Artesanato de Coruche
Cumplicidades (Maria Branco)
Flecha
Fraternidades (Fernando B.)
Ilha dos Mutuns(Batista Filho)
Histórias do mundo (Clara e Miguel)
Lazuli (Fernanda Guadalupe)
luz.de.tecto (o5elemento)
Letras ao Acaso
Madrigal - blog de poesia
Mulher dos 50 aos 60 (Lique)
O Mirmidão
O soldadinho de chumbo
Palavras de Algodão (Cris)
podiamsermais (Carlos Feio)
Poemas de Manuel Filipe
Porquinho da Índia (Bertus)
Um Conto à Quinta
Xis Temas (António San)

noites com poemas