<$BlogRSDUrl$>

mundo
Todas as coisas têm o seu mistério
e a poesia
é o mistério de todas as coisas

Federico García Lorca

Sendo este um BLOG DE MARÉS, a inconstância delas reflectirá a intranquilidade do mundo.
Ficar-nos-á este imperativo de respirar o ar em grandes golfadas.
setembro 23, 2012

noites com poemas
com o grupo coral Estrelas do Guadiana,
com José de Matos-Cruz, Daniel Maia e Susana Resende
em redor do Infante Portugal e As Sombras Mutantes
mais uma edição da Apenas Livros

No «reinício da temporada», com a sala bem composta augurando um bom desenvolvimento da mesma, foi dado o habitual cumprimento de boas-vindas, com breve anúncio daquilo que a sessão nos traria. 

E, deste feita, pudemos contar, logo a abrir, com o grupo coral Estrelas do Guadiana, que encheu aquela sala e os nossos espíritos ...

... daquela sonoridade que nos estremece e, como diria o nosso amigo José Fanha, que nos faz sentir portugueses aqui.

Sons e vozes da terra, de sotaque deliciosamente empedernido, entoando aquelas modas em que vinte vozes se fazem um abraço...


... e que, contra todas as vicissitudes, a persistência e determinação de uns quantos - os melhores de nós! -, mantém viva e actuante,  nessa estranha mas incontornável vontade de se preservar a identidade cultural que nos distingue e dá alento.  

De seguida, lugar ao nosso convidado... que melhor será dizer aos nossos convidados, José de Matos-Cruz que nos chegou acompanhado por dois dos ilustradores da sua obra, Susana Resende e Daniel Maia.

Coube à nossa amiga Fernanda Frazão, da editora Apenas Livros, fazer a apresentação sumária, como é seu timbre, mas também bem humorada e motivadora, dos nossos convidados.  

Depois, José de Matos-Cruz falou do que representa este seu projecto O Infante Portugal -  que vai já no terceiro volume -, da sua génese aos percursos que ele pretende apontar, desbravando-os, também, a cada passo em que se desenvolve esta caminhada, percorrida de braço dado com uma infinidade de ilustradores de Banda Desenhada portugueses, que têm vindo a dar corpo ao manifesto que é esta estranha e misteriosa personagem.   


A propósito do tema e de percursos vividos, percorremos também algum trajecto de vida do autor, ao longo da sua extensa actividade profissional, na Cinemateca Nacional, que se nos revelou tão interessante e curiosa como a sua faceta de autor. 

Daniel Maia...


e Susana Resende

... trouxeram-nos as suas abordagens ao projecto, sublinhando a relevância para o mesmo das cumplicidades mutuamente desenvolvidas, a par de uma enorme liberdade criativa, que permite e favorece a interacção, com resultado final muito mais enriquecido, sem que cada um dos envolvidos incorra na perda de identidade, antes a reforçando no contexto de um projecto comum.
Como mera nota de rodapé, louvei eu também essa cumplicidade intergeracional, muito para além e bem mais coerente do que o fosso que por vezes se cultiva; cumplicidade logo mais traduzida em actos concretos  onde passagem de testemunho e exercícios de partilha de olhares e de saberes não são expressões sem conteúdo.  

Registou-se, também, interacção com quem assiste, numa prática de que sempre se faz apanágio neste nosso espaço, diluindo os «cantos da sala», pois a grande verdade é que todo e cada um tem sempre algo a fazer valer.

Terceira e última parte da sessão: lugar aos poemas  e às vozes que os queiram trazer, inspirados ou não pela temática proposta, tentando retribuir aos convidados cada bom momento passado. 

- Francisco José Lampreia, colega de estudos universitários de José de Matos-Cruz, reservou ao nosso convidado uma surpresa, com um forte abraço. 

- Eduardo Martins

- Maria Francília Pinheiro

- ... (lamento, mas não recolhemos o nome desta nóvel participante...)

- João Baptista Coelho

- Ana Freitas

- Rosário Freitas

- A costumeira sessão de autógrafos...




... muito convenientemente condimentada com o convívio com que sempre se encerra cada uma destas sessões e que, invariavelmente, proporcionam novos encontros ou velhos reencontros... Afinal, muito do sal que nos tempera esta vida.

- Fotografias de Lourdes Calmeiro e Lídia Castro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 11:08


setembro 20, 2012

convite - Noites com Poemas
com José de Matos-Cruz


No próximo dia 21 de Setembro de 2012 (sexta-feira) e pelas 21h30 vamos reiniciar as nossas sessões das Noites com Poemas. Contra a crise, contra a inacção, contra os canhões até, se assim muito bem entenderem.

Como sempre, na Biblioteca Municipal de Cascais, em São Domingos de Rana e uma vez mais contando com a colaboração de Fernanda Frazão, da editora Apenas Livros, teremos connosco José de Matos-Cruz, autor da saga O Infante Portugal, obra profusamente participada por muitos ilustradores, como Daniel MaiaSusana Resende e tantos outros, e que vai já no seu terceiro volume: O Infante Portugal e as Sombras Mutantes...

Deixo-vos com um «naco», para aguçar curiosidades, à laia de sinopse: «A rotina sibilina de Lisboa é, imprevistamente, perturbada pela súbita ausência de Nero Faial, o impecável Curador da Fundação de Artes Narcisistas. Movem-se, então, ambições e frustrações – a par com bizarras aparências e intrusões, cuja evocação ou revelação abala a vivência e a memória de gente influente ou dos heróis urbanos. Um primordial Infante Portugal estranha, sobretudo, o inquietante apagamento de Vulcão – o seu mais implacável adversário, e paradoxal líder do submundo... » 

A sessão contará, ainda, na sua abertura, com a apresentação do grupo coral Estrelas do Guadiana.

Também como sempre, todos contamos com todos... e todos nunca somos demais.

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 12:23


setembro 19, 2012

Miguel Torga vivo


Quem havia de dizer? O Torga, claro...!

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 19:57


setembro 18, 2012

convite/sugestão para o próximo dia 22 de Setembro

Uma sugestão para o próximo fim de semana: Paula Raposo lança o seu sétimo livro de poemas. No cartaz anexo estão as informações necessárias para os interessados:


Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 23:39


setembro 16, 2012

1. viva o 15 de Setembro!
2. homenagem em Coruche

NOTA PRÉVIA -  Antes de qualquer outra consideração e sem qualquer cometário espúrio face à dimensão do acontecimento, aqui fica lavrado o testemunho da minha eufórica e feliz alegria pela assunção clara de cidadania que o dia 15 de Setembro de 2012 representou, em todo o território nacional e, até, nas diversificadas diásporas onde o povo português é e está e sabe ser!

Quando os Passos que nos caem em sorte se convencem que (des) governam um povo abúlico e perenemente desmotivado, dá os passos perdidos que sabemos. Um dia o tiro sai-lhes pela culatra e o arrepio de tão mau entendimento talvez já não seja viável.

*
Em Coruche, pela mão de Ana Freitas e de um grupo de amigos maiores que o pensamento, no Café da Vila, no passado dia 14 de Setembro, fui alvo de homenagem - coisa sempre de deixar emocionalmente «arrumada» a mais empedernida das almas... Que dizer quando a alma em questão é tão atreita à «pieguice», que, pelos vistos, tanto incomoda quem se afasta dos caminhos dos afectos...   


Nada faltou no desvelo com que fui tratado, tendo até sido presenteado, pela mestria de David Carrapo, com belos momentos musicais que, muito mais do que preencherem o tempo, deram alento ao início da tão agradável sessão que se seguiu.


A noite resolveu, também, ajudar à festa, brindando-nos com uma muito amena temperatura, convidando a que a esplanada do Café da Vila se arvorasse em plateia, bem preenchida, coisa sempre notável quando o tema é a poesia... e ainda para mais tratando-se de homenagem a este quase ilustre desconhecido.


O mote foi A Poesia - Outro Modo de Respirar, que Ana Freitas introduziu, com as seguintes palavras:


Sendo o respirar o acto primeiro e a prova de estarmos vivos, todos nós temos muito que respirar. No nosso percurso de vida, vamos escolhendo meios de o fazer, por exemplo, através da simples conversa ao debate organizado, ao exercício físico, do desenho à música, à pintura, da leitura à escrita.

Jorge Castro, o nosso homenageado, escolheu, e o seu muito talento assim lhe permite, muitas artes para respirar! 

E foi dizendo de mim o que algum pudor me impede de reproduzir...

Logo mais, coube-me tentar retribuir tanto carinho, tendo recorrido a uma mão-cheia de marcos literários, que me ajudam a perceber alguns porquês do que vou fazendo nestas lides...

... e chamei à colação José Fanha, Urbano Tavares Rodrigues, Eugénio Lisboa, José Gomes Ferreira, Bertolt Brecht e, até, algumas peças da indústria, para melhor documentação de quantos me fizeram o favor de estar presentes para este simpático e envolvente abraço.

- Rosário Freitas

- Tomiça

- Augusta Santos

- Estefânia Estevens

- Carlos Gaspar

A nossa organizadora do evento, Ana Freitas, providenciou e caprichou tanto nos pormenores desta sessão que se lembrou até de fazer anos nesse mesmo dia, ao que lhe retribuíram com várias merecidas surpresas.

No intervalo para a segunda «rodada», David Carrapo ofereceu-nos nova ponte musical.

- Como há sempre coincidências na vida, por mais que delas nos queiramos alhear, não é que dou com essa singularidade de o edifício onde se encontra localizado o Café da Vila se denominar Edifício Orca? Ele há coisas do arco da velha!

- Rosa Pais

- Alzira Carrilho

- Francisco José Lampreia

- Maria Augusta Ambrósio

- Palmira Gaspar

- Isilda Gagueja

- Idália Silva

- Arlindo Pirralho

- Ernesto Fonseca

- Joaquim Laranjo

- Gracinda Maia

E não foram poucos os remoques e alusões que este cordão de poetas lançou aos desconchavos do desviver a que tanto (des)governante nos quer obrigar, sem acautelar saberes e sentires, enfim outros modos de respirar dos cidadãos que enformam a nação que somos, numa demonstração inequívoca de que a pacatez do povo não é sinónimo de falta de atenção, espírito crítico e capacidade de mobilização, como, aliás, os acontecimentos do dia 15 tão bem revelaram.

E Ana Freitas encerrou o evento. Cordial, simpático, motivador... sei lá como adjectivar  mais sem cair no risco de me arvorar em juiz em causa própria. Olhem, é como sempre digo: tivessem ido e logo veriam! E Coruche, em querendo, terá também longevidade  a destacar em sessões poéticas. Os dados estão mais do que lançados.


Foi bonita a festa, pá, estamos contentes... e tanto que ainda se encontrou ímpeto para rematar a noite em mais folias, com o excelente pretexto da recomemoração do aniversário de Ana Freitas, que juntou a todo o empenho na organização desta pequena-grande efeméride, os seus dotes de óptima anfitriã. Chá e vinho do Porto, bolos confeccionados com mil afectos... Mais palavras para quê? 

 Estou em crer que é muito por falta disto que os Sócrates, os Coelhos e outros Gaspares são como são, agem como agem e secam tudo em seu redor. Falta-lhes muito o viver a vida com outros modos de respirar.

- Fotografias de Lourdes Calmeiro

Etiquetas: , ,


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 22:49


Arquivo:
Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?Weblog Commenting by HaloScan.com



noites com poemas 2


capa do livro Farândola do Solstício
Obras publicadas
por Jorge Castro

contacto: jc.orca@gmail.com

Autor em

logo Apenas

Colaborador de

logo IELT

Freezone

logo Ler Devagar


Correntes de referência:
80 Anos de Zeca
... Até ao fim do mundo!
Aventar
Encontro de Gerações (Rafael)
É sobre o Fado (João Vasco)
Conversas do Café Grilo
Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras
Final Cut - o blogue de cinema da Visão
Oeiras Local
O MOSCARDO
Poema Dia
Profundezas

Correntes de proximidade:
A Funda São
Amorizade (Jacky)
A Música das Palavras (Jaime Latino Ferreira)
Anomalias (Morfeu)
Ars Integrata
Ars Litteraria
Ars Poetica 2U
As Causas da Júlia (Júlia Coutinho)
As Minhas Romãs(Paula Raposo)
Belgavista (Pessoana)
Blogimmas
Blogotinha
Bloguices
Câimbras Mentais (AnAndrade)
Carlos Peres Feio
chez maria (maria árvore)
Coisas do Gui
deevaagaar
Divulgar Oeiras Verde (Ana Patacho)
e dixit (Edite Gil)
Fotos de Dionísio Leitão
Garganta do Silêncio (Tiago Moita)
Isabel Gouveia
Itinerário (Márcia Maia)
Metamorfases
Mudança de Ventos (Márcia Maia)
Mystic's
Nau Catrineta
Notas e Comentários (José d'Encarnação)
Novelos de Silêncio (Eli)
Pedro Laranjeira
o estado das artes
Palavras como cerejas (Eduardo Martins)
Parágrafos Inacabados (Raquel Vasconcelos)
O meu sofá amarelo (Alex Gandum)
Persuacção - o blog (Paulo Moura)
Queridas Bibliotecas (José Fanha)
Raims's blog
Relógio de Pêndulo (Herético)
Risocordeluz (Risoleta)
Rui Zink versos livros
Repensando (sei lá...)
sombrasdemim (Clarinda Galante)
Tábua de Marés (Márcia Maia)
Valquírias (Francília Pinheiro)
Vida de Vidro
WebClub (Wind)

Correntes de Ver:
desenhos do dia (João Catarino)
Esboço a Vários Traços

Correntes Auspiciosas:
ABC dos Miúdos
Manifesto-me
Netescrita
Provérbios

Correntes Favoráveis
A P(h)oda das Árvores Ornamentais
Atento (Manuel Gomes)
A Paixão do Cinema
A Razão Tem Sempre Cliente
A Verdade da Mentira
Bettips
Blog do Cagalhoum
Cadeira do Poder
CoeXist (Golfinho)
Congeminações
Crónica De Uma Boa Malandra
Desabafos - Casos Reais
Diário De Um Pintelho
Editorial
Escape da vida...
Espectacológica
Eu e os outros...
Eu sei que vou te amar
Fundação ACPPD
Grilinha
Há vida em Markl
Hammer, SA
Horas Negras
Intervalos (sei lá...)
João Tilly
Lobices
Luminescências
Murcon (de JMVaz)
Nada Ao Acaso
NimbyPolis (Nilson)
O Blog do Alex
O Bosque da Robina
O Jumento
(O Vento Lá Fora)
Outsider (Annie Hall)
Prozacland
O Souselense
O Vizinho
Palavras em Férias
Pastel de Nata (Nuno)
Peciscas
Pelos olhos de Caterina
Primeira Experiência
Publicus
Puta De Vida... Ou Nem Tanto
Santa Cita
The Braganzzzza Mothers
Titas on line
Titas on line 3
Senda Doce
TheOldMan
Traduzir-se... Será Arte?
Um pouco de tudo (Claudia)
Ventosga (João Veiga)
Voz Oblíqua (Rakel)
Zero de Conduta
Zurugoa (bandido original)

Corrente de Escritas:
A Arquitectura das Palavras (Lupus Signatus)
Além de mim (Dulce)
Ana Luar
Anukis
Arde o Azul (Maat)
Ao Longe Os Barcos De Flores (Amélia Pais)
Babushka (Friedrich)
baby lónia
Branco e Preto II (Amita)
Biscates (Circe)
blue shell
Cartas Perdidas (Alexandre Sousa)
Chez Maria (Maria Árvore)
Claque Quente
2 Dedos de Prosa e Poesia
Escarpado (Eagle)
Erotismo na Cidade
Fôlego de um homem (Fernando Tavares)
Há mais marés
Humores (Daniel Aladiah)
Insónia (Henrique Fialho)
Klepsidra (Augusto Dias)
Letras por Letras
Lua de Lobos
Lus@arte (Luí­sa)
Mandalas Poemas
Menina Marota
Novos Voos (Yardbird)
O Eco Das Palavras (Paula Raposo)
Porosidade Etérea (Inês Ramos)
O Sí­tio Do Poema (Licínia Quitério)
Odisseus
Paixão pelo Mar (Sailor Girl)
Palavras de Ursa (Margarida V.)
Palavrejando (M.P.)
Poemas E Estórias De Querer Sonhar
Poesia Portuguesa
Poetizar3 (Alexandre Beanes)
Serena Lua (Aziluth)
Sombrasdemim (Maria Clarinda)
Sopa de Nabos (Firmino Mendes)
T. 4 You (Afrodite)
Uma Cigarra Na Paisagem (Gisela Cañamero)
Xanax (Susanagar)

A Poesia Nos Blogs - equipagem:
A luz do voo (Maria do Céu Costa)
A Páginas Tantas (Raquel)
ante & post
As Causas da Júlia
Cí­rculo de Poesia
Confessionário do Dilbert
Desfolhada (Betty)
Estranhos Dias e Corpo do Delito (TMara)
Extranumerário (GNM)
Fantasias (Teresa David)
Fata Morgana... ou o claro obscuro
Jorge Moreira
MisteriousSpirit (Sofia)
Passionatta (Sandra Feliciano)
Peças soltas de um puzzle
Poemas de Trazer por Casa e Outras Estórias - Parte III
Poesia Viva (Isabel e José António)
Poeta Salutor (J.T. Parreira)
Que bem cheira a maresia (Mar Revolto-Lina)
Sais Minerais (Alexandre)
Silver Soul
Sombra do Deserto (Rui)

Navegações com olhos de ver:
Em linha recta (lmatta)
Fotoescrita
gang00's PhotoBlog
Nitrogénio
Objectiva 3
Pontos-de-Vista
Rain-Maker
O blog da Pimentinha (M.P.)
Passo a Passo
Portfólio Fotográfico (Lia)
Words (Wind)

Já navegámos juntos...
Aliciante (Mad)
A Rádio em Portugal (Jorge G. Silva)
Atalhos e Atilhos
Cu bem bom
Encandescente
Geosapiens
Incomensurável
Isso Agora...
Letras com Garfos (Orlando)
Luz & Sombra
Pandora's Box
Pés Quentinhos
Praça da República em Beja (nikonman)
SirHaiva
Testar a vida
Tuna Meliches

Correntes de Consulta:
Abrupto
A Lâmpada Mágica
Aviz
Blogopédia...
Bloguítica
Contra a Corrente
Contra a Corrente
Conversas de Merda
Cravo e Canela
Do Portugal Profundo
Inépcia
Médico explica medicina a intelectuais
Oficina das Ideias
Portugal No Seu Pior
Professorices
República Digital
Retórica e Persuasão
Ser Português (Ter Que)
You've Got Mail

Correntes interrompidas:
A Nau Catrineta (zecadanau)
Aroma de Mulher (Analluar)
A Voz do Fado!
blog d'apontamentos (Luí­s Ene)
Catedral (ognid)
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 2
CORART - Associação de Artesanato de Coruche
Cumplicidades (Maria Branco)
Flecha
Fraternidades (Fernando B.)
Ilha dos Mutuns(Batista Filho)
Histórias do mundo (Clara e Miguel)
Lazuli (Fernanda Guadalupe)
luz.de.tecto (o5elemento)
Letras ao Acaso
Madrigal - blog de poesia
Mulher dos 50 aos 60 (Lique)
O Mirmidão
O soldadinho de chumbo
Palavras de Algodão (Cris)
podiamsermais (Carlos Feio)
Poemas de Manuel Filipe
Porquinho da Índia (Bertus)
Um Conto à Quinta
Xis Temas (António San)

noites com poemas