<$BlogRSDUrl$>

mundo
Todas as coisas têm o seu mistério
e a poesia
é o mistério de todas as coisas

Federico García Lorca

Sendo este um BLOG DE MARÉS, a inconstância delas reflectirá a intranquilidade do mundo.
Ficar-nos-á este imperativo de respirar o ar em grandes golfadas.
janeiro 31, 2011

a noite
no X aniversário da Casa da Horta da Quinta de Santa Clara
com Paula Viotti e «Diz A Noite»

a noite
vem de improviso
não bate à porta nem entra
cai em nós sem dar aviso

uma vidraça escurece e entorpece a vontade
nesse torpor que acontece no bulício da cidade

- que pena não poder vê-las na luz parada da urbe
às infinitas estrelas
luzeiro que o céu invade
dossel que ninguém perturbe –

desce o manto do mistério sobre as vidas e as andanças
como um grito que se escreve numa parede de lanças
tudo à noite é bem mais sério
bem mais curtas as esperanças

e sobram medos
na noite
que nos escorrem pelos dedos
feitos desejo
premência
de uma urgência que se afoite
em busca de uma outra urgência
no breve acaso de um beijo

e a Lua cresce do mar domando as nossas verdades
e aponta outro navegar
novas marés de vontades

a noite é lar dos poemas
que fogem à luz do dia
talvez só porque alguns temas
da cor da noite as verdades
se fazem de mais poesia

- poema de Jorge Castro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 09:22


janeiro 29, 2011

um mundo cheio de coincidências...

Permitam-me partilhar convosco um sorriso matinal que me assolou nesta instável manhã de sábado:

COINCIDÊNCIAS QUE FAZEM PENSAR.....

- Notícia de ontem do site da RTP:
"Cerca de 30% dos portugueses sofrem de perturbações mentais".

- Sondagem da semana passada divulgada na comunicação social:
"Sócrates recolhe 30% da preferência de voto dos Portugueses"

Ainda bem que vivemos na sociedade da informação...

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 12:01


janeiro 26, 2011

opiniões imorais, discurso sarnento...

Ontem, dia 25 de Janeiro, ouvi o ex-ministro Morais Sarmento, num frente-a-frente com Francisco Assis, na SIC Notícias, e a propósito da eventual racionalização de Juntas de Freguesia na cidade de Lisboa – onde existem nada menos do que 53… - lavrar a sentença, do alto da sua pequenez, de que as tais organismos de proximidade seriam, em última análise, para acabar, a médio prazo, em todo o território nacional.

Assim, sem mais. Morais Sarmento expende tal aleivosia ao mundo com o mesmo à vontade com que um psicopata proporia o abate sumário de todos os Morais Sarmentos porventura existentes à face da Terra… isto se admitirmos que a Terra tenha capacidade de absorção de mais do que uma unidade de tal quilate.

Podemos admitir que tal se fique a dever, ainda, a algum excesso de adrenalina mal contido que lhe sobre da recente vitória de Aníbal Cavaco Silva nas presidenciais, mas não mais do que isso. Que mal lhe terão feito as pobres das Juntas de Freguesia, ao senhor ex-ministro ora comentador? (...)

Ver aqui todo o comentário - blog PersuAcção.

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 09:15


janeiro 24, 2011

20 - 21 - 22 de Janeiro
do Santiago Alquimista
a Um Outro Livro de Job, de João Baptista Coelho
até à homenagem a António Feio

Felizmente, contra algum cinzentismo desta apagada e vil tristeza em que Portugal vai (sobre)vivendo, nem pára o tempo nem o ânimo de fazer coisas, estabelecendo essa corrente de Humanidade que vai muito, mas muito, para além da monotonia monocórdica que uma certa política caseira nos injecta o viver...

- dia 20 de Janeiro, com o Oeiras Verde, no Santiago Alquimista, em Lisboa, em sessão denominada O Canto Falado em Concerto, passeámos por Ary dos Santos, Fernando Pessoa, David Mourão-Ferreira...


Depois, a 21 de Janeiro, na Biblioteca de São Domingos de Rana, em homenagem  mais do que merecida a João Baptista Coelho e aproveitando o lançamento da sua mais recente obra, com edição da Câmara Municipal de Cascais - Um Outro Livro de Job -,  reuniu-se uma boa mão-cheia de amizades, em cerco de afectos aos poemas deste nosso fidelíssimo companheiro. Foi o caso dos Jograis do Atlântico...  

... do Carlos Peres Feio ...


... do David José Silva... 


... do Francisco José Lampreia...


... da Maria Francília Pinheiro...


... numa sala, como sempre muito bem preenchida - se me perdoarem a vaidade - ... 


Ao professor José d'Encarnação coube a apresentação da obra...


... enaltecendo um percurso de vida que reflecte a sua exemplaridade também em forma de poesia, para nossa fruição e prazer.

Ao autor, João Baptista Coelho, competiram agradecimentos e encómios a que os visados perdoaram exageros...  


... ditados pelos excelentes companheirismo e cumplicidades que têm norteado esta regular partilha de caminhos e de vontades...


Também Estefânia Estevens fez questão de se associar ao evento... e vocês sabem lá com que agrado do homenageado!


Oeiras Verde não podia deixar de abraçar o nosso amigo poeta...


... nesse abraço colectivo que todos nós lhe fomos dando.


A senhora veradora da Cultura, Dra. Ana Clara Justino, encerrou a sessão com uma emocionante e emocionada evocação do autor, da sua obra, também enquanto atitude de cidadania, que a idade ou as vicissitudes da vida não esbatem. 


Por fim, a esperada sessão de autógrafos, de admiradores sem idade, que colhem no exemplo do autor, como foi sobejamente referido, uma fonte de inspiração para o seu dia-a-dia.


Por último, já no dia 22 de Janeiro, outra homenagem, desta feita a António Feio, que passou a enriquecer a toponímia de Carcavelos, por iniciativa da sua Junta de Freguesia, com nome de rua muito próxima do local onde residiu e passou  os anos da sua juventude.


À sessão compareceram os filhos e outros familiares do actor,  ser humano de especial estirpe que todos vão transportando  nos corações, também como exemplo inspirador de vida... 


Na imagem, Carlos Peres Feio, o mano velho do actor, e a senhora presidente da Junta de Freguesia, Dra. Zilda Costa da Silva, junto da placa toponímica.


Com organização de Carlos Peres Feio e já nas instalações da Junta de Freguesia de Carcavelos, teve lugar a inauguração de uma exposição homenageando o actor...





... onde vários poetas deixaram o seu testemunho de afecto ao actor homenageado.


A sessão de homenagem foi encerrada pela senhora vereadora da Cultura, Dra. Ana Clara Justino.



E António Feio esteve presente, como não podia deixar de ser, dir-se-ia de corpo e alma.

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 12:41


janeiro 21, 2011

voto!

Agora, que já são 21h30 do dia 23 de Janeiro e que o resultado eleitoral nos dá Aníbal Cavaco Silva por mais cinco anos, gostaria de felicitar e congratular José Sócrates - como já o fiz há cinco anos atrás, pelo excelente resultado eleitoral que tanto o favorece e ao seu projecto político.

O povo é soberano e, como tal, todos devem conformar-se. Pela minha parte, não deixo, entretanto, de lamentar este povo de Cavacos Silvas e Tonis Carreiras, que alegremente têm conduzido este país ao mais modorrento obscurantismo... entre outras desgraças avulsas.

..................................................................

Se juntarem uns 500 gramas de desencanto a peso igual de indignação; se misturarem, com determinação, ambos os ingredientes, ao mesmo tempo que que lhes vão juntando raspas muito finas de desespero; se temperarem tudo muito bem e abundantemente com muitas résteas de esperança; se, por fim, levarem ao forno da vida, em recipiente de barro largamente untado com coragem de lutar; se, por fim, cobrirem tudo com o creme dos sonhos... poderão servir, no vosso banquete de amigos, o pão presente e futuro.

Só por isso voto em Fernando Nobre.      

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 23:59


janeiro 18, 2011

Um Outro Livro de Job
de João Baptista Coelho
nas noites com poemas

- cartaz de Alexandre Castro

Um Outro Livro de Job (30 Retratos de uma Peregrinação), esta a obra da autoria de João Baptista Coelho, a ser apresentada pelo professor José d'Encarnação no próximo dia 21 de Janeiro de 2011 (sexta-feira), pelas 21h30, na Biblioteca Municipal de Cascais - São Domingos de Rana.

Companheiro fidelíssimo das nossas Noites com Poemas desde a primeira hora, João Baptista Coelho é uma lição de vida para quantos têm a fortuna de com ele cruzar andanças. Poeta do desassossego, também, de uma vida cumprida sempre em busca de mais vida para cumprir, com ele o tempo deixa, de algum modo, de perder a razão de ser..

Um Outro Livro de Job é - finalmente! - uma obra sua, com edição da Câmara Municipal de Cascais, a permitir-nos aceder, com outro tempero e atenção, aos seus poemas.

Por lá estaremos, vários amigos, levando a quem nos quiser ouvir um braçado de poemas colhidos na sua extensa seara, em preito de menagem, dir-se-ia, que a nobreza do autor o justifica.

Venham daí e tragam um amigo, também. Esta noite não será desperdiçada! E a festa será ainda mais festiva com a vossa presença.

Abraços.

Jorge Castro 

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 16:06


janeiro 16, 2011

quotidiano delirante (8)


De poucas coisas gosto mais, na minha terra de acolhimento - Carcavelos -, do que a fruição da orla marítima dessa praia que poderá considerar-se dos melhores areais de Portugal - e se os há belíssimos! Os passeios de fim de tarde ou de fim de semana lavam-nos olhos e alma...


Mas... ó, terrível mas! Repararão que, nas duas imagens acima, a escadaria fotografada tem uma lógica arquitectónica coerente com o respectivo paredão onde se insere. Assim eram e a tais regras obedeciam todas as diversas escadarias que se desenvolviam ao longo do areal. E por ali se aguentaram muitas dezenas de anos a fio. Há quarenta anos, pelo menos, que eu assim as conhecia.  


Porém, a pavimentação - que tanto e tanto tardou - daquele magnífico passeio e mais quem o imaginou, desenhou, arquitectou, levou a que se derrubassem essas escadarias... para fazer outras nos mesmos locais. E mal se entende o porquê da atitude. Eventualmente, para aproveitamento de materiais que sobraram das obras de pavimentação e infraestruturas diversas...  

Pequena nota esclarecedora: na imagem acima, do rebordo da rampa até à areia dista qualquer coisa como um metro e trinta centímetros... - claro, oscilantes com as marés, que le há marés! Bem mais marés do que marinheiros, pelos vistos.


E apenas por isso, pelo aproveitamento de sobras e de restos, é que se pode entender (?) o resultado final destas esplendorosas rampas, com piso especial e politicamente correctas, pois até darão para carrinhos de deficientes chegarem ao areal... Isto se os carros para deficiente pudessem ter alguma serventia num areal, ou se as próprias rampas, com os mgníficos acabamentos que podemos ver-lhes, viessem a revelar-se de alguma utilidade, até para pessoas sem deficiência 


Qualquer coisa, efectivamente, está podre no reino da Dinamarca! Há, efectivamente, por aí uma seita malfazeja que se compraz em gozar com a cara do cidadão contribuinte. E na maior impunidade. Só pode...!

Talvez amarrá-los a uma cadeira de rodas e fazê-los deslizar, uma e outra vez, por estas abstrusas rampas, até que, por fim, miassem ou uivassem, ou um raio que os partisse!   

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 17:48


janeiro 13, 2011

quase-quase 200.000 visitas...

Como tudo o que neste mundo vai girando, não é de especiosa importância registar as 200.000 visitas ao Sete Mares.

Mas como tudo neste mundo, cada facto ou ocorrência pode assumir a desmesura que lhe quisermos atribuir.

Eu apuro que sete anos de actividade no Sete Mares é o mesmo que dizer 2.555 dias dessa actividade. E que as 200.000 visitas totais representam 78 visitas diárias.

Gabo a vossa paciência e assumo a minha responsabilidade. Bem hajam.

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 09:01


janeiro 11, 2011

o que há para se fazer terá de ser feito hoje

- no dia da morte de Vítor Alves, capitão de Abril

o que há para se fazer terá de ser feito hoje
e se puder feito já e feito já nesta hora
não por pressa nem demora que o tempo nunca nos foge
mas fugimos nós ao tempo julgando que vá embora
algum tempo em contratempo onde a amargura se aloje

ou se anoje a desventura de esperar sempre amanhãs
que não cantam nem sorriem se não dermos corpo ao grito
emudecido e aflito nas dormências tão malsãs
em que se escoam os dias e as esperanças sem fito
que ele há um tempo de searas e outro tempo de romãs

e nas campinas papoilas dão seu brado sem ter medo
de que o seu sangue vermelho marque a diferença no chão
que nem por isso se esconde esse azul do céu enredo
nem ficará pelo meio da Lua uma translação
de criar marés e dias e os ventos no arvoredo

o que há para se fazer terá de ser feito hoje
que o amanhã tem por certo o ser-nos um tempo incerto
e não nos ficar por perto o ontem que já passou

o que há para se fazer terá de ser feito hoje
corpo de uma esperança aflita ou de um sonho que voou.

- Jorge Castro
09 de Janeiro de 2010

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 08:46


janeiro 10, 2011

a um dos que sabem que o sonho comanda a vida...


A alguém a quem devo, muito simplesmente, o poder dizê-lo, aqui e agora, tão abertamente, mesmo que de coração magoado; a um desses que se vão da lei da morte libertando; a um dos que, num momento dado das suas vidas, se confrontou, em carne viva, com o seu papel na vida e no devir do seu semelhante e ousou dar o passo em frente; a alguém que cultivou a arte de gerar consensos ... A esse alguém, a minha sentida homenagem.

Para todos quantos a Liberdade não é uma palavra vã, saibamos manter erguidos testemunho e bandeira.

Até sempre, Vítor Alves!    

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 00:06


janeiro 05, 2011

madrigal

Hoje trouxe, de um dos meus lugares diários de restauração, quase que uma flor em forma de comentário, quando me foi dito, perante um pedido meu mais intenso, qualquer coisa como «não me peça chorando o que lhe dou sorrindo»… Piegas, lamecha? E daí? Tenho os impostos em dia e não me consta que deva alguma coisa que não pague. E um madrigal cai sempre bem, qual seja a circunstância, mesmo em torno de uma pizza Tropical... 



não peça chorando
o que dou sorrindo
nem de vez em quando
nem se já estou indo

não vá embarcando
pelo lago infindo
mesmo lago brando
pôr de sol fugindo

seja assim andando
seja assim dormindo
jamais perturbando
algum sonho lindo

e nem mesmo quando
não há flor florindo
não peça chorando
o que dou sorrindo

- poema de Jorge Castro

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 17:31


janeiro 04, 2011

mensagem de ano bem bom - nova crónica no blog Persuacção


Perante o arrazoado mais ou menos infame, mais ou menos balofo, vazio de conteúdo ou, até, mais ou menos idiota das ditas mensagens de natais e anos novos que vamos ouvindo nesta época, do tipo bolo-rei de terceira categoria, seco e pobre em frutos, por parte dos organismos oficiais, porque não a hei-de emitir também eu, cidadão português comum, classe média, europeu, ocidental, nem-Nato-nem-Pacto-de-Varsóvia – como se dizia –, nem anti, nem pró «economias emergentes» e sem convicção especial em salvadores providenciais mais ou menos embrulhados na neblina dos dias?

Ver crónica completa AQUI, com algumas sugestões ideais (digo eu...) para combater a «crise».

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 11:44


janeiro 01, 2011

ano 2011, dia 1, mês Janeiro - sete anos de Sete Mares
... mais 15 dias em favor da Thita


Ali, muito provavelmente no ponto onde o arco-íris toca a terra, se encontre o tesouro que gostaria de poder entregar a cada um dos meus afectos... Para além de casas ou outras construções humanas necessárias à nossa afirmação e existência, que prevaleça a nossa comunhão com a terra, com os afectos, com tudo aquilo que, afinal, faz de nós o que nós somos - e queremos ser, no concerto do Universo!

Ao Pedro Mota e ao Rui Farinha, que me souberam provar porque somos pó de estrelas; à Thita, que me ofereceu este blog, espaço de liberdade; a todos vós que me honrais com a vossa companhia e cumplicidades - e sois tantos! - os meus desejos de um ano de 2011 pleno de felizes realizações e votos de que a malfadada e inventada «crise» - seja lá isso o que for... - recaia, em todo o seu esplendor, apenas sobre quantos a alimentaram e alimentam e dela vivem, contra os superiores interesses da Humanidade.


Ao Alexandre e à Inês que meteram pés ao caminho para me surpreenderem fazendo-me chegar, mão na mão, um dos filmes da minha vida que há longos anos porfiava encontrar - The Magic Christian, com Peter Sellers e Ringo Starr, que, a propósito, recomendo muito vivamente e que mantém a sua actualidade há distância de quase quarenta anos...

Porque a Vida continua e a nossa luta pela sobrevivência é soberana e o direito de cada um ao sonho nos deve conduzir à descoberta e à companhia do outro... para que 2011 seja, na verdade, um bom ano, de especiais colheitas.   

Etiquetas:


Afixado por: Jorge Castro (OrCa) / 00:01


Arquivo:
Janeiro 2004 Fevereiro 2004 Março 2004 Abril 2004 Maio 2004 Junho 2004 Julho 2004 Agosto 2004 Setembro 2004 Outubro 2004 Novembro 2004 Dezembro 2004 Janeiro 2005 Fevereiro 2005 Março 2005 Abril 2005 Maio 2005 Junho 2005 Julho 2005 Agosto 2005 Setembro 2005 Outubro 2005 Novembro 2005 Dezembro 2005 Janeiro 2006 Fevereiro 2006 Março 2006 Abril 2006 Maio 2006 Junho 2006 Julho 2006 Agosto 2006 Setembro 2006 Outubro 2006 Novembro 2006 Dezembro 2006 Janeiro 2007 Fevereiro 2007 Março 2007 Abril 2007 Maio 2007 Junho 2007 Julho 2007 Agosto 2007 Setembro 2007 Outubro 2007 Novembro 2007 Dezembro 2007 Janeiro 2008 Fevereiro 2008 Março 2008 Abril 2008 Maio 2008 Junho 2008 Julho 2008 Agosto 2008 Setembro 2008 Outubro 2008 Novembro 2008 Dezembro 2008 Janeiro 2009 Fevereiro 2009 Março 2009 Abril 2009 Maio 2009 Junho 2009 Julho 2009 Agosto 2009 Setembro 2009 Outubro 2009 Novembro 2009 Dezembro 2009 Janeiro 2010 Fevereiro 2010 Março 2010 Abril 2010 Maio 2010 Junho 2010 Julho 2010 Agosto 2010 Setembro 2010 Outubro 2010 Novembro 2010 Dezembro 2010 Janeiro 2011 Fevereiro 2011 Março 2011 Abril 2011 Maio 2011 Junho 2011 Julho 2011 Agosto 2011 Setembro 2011 Outubro 2011 Novembro 2011 Dezembro 2011 Janeiro 2012 Fevereiro 2012 Março 2012 Abril 2012 Maio 2012 Junho 2012 Julho 2012 Agosto 2012 Setembro 2012 Outubro 2012 Novembro 2012 Dezembro 2012 Janeiro 2013 Fevereiro 2013 Março 2013 Abril 2013 Maio 2013 Junho 2013 Julho 2013 Agosto 2013 Setembro 2013 Outubro 2013 Novembro 2013 Dezembro 2013 Janeiro 2014 Fevereiro 2014 Março 2014 Abril 2014 Maio 2014 Junho 2014 Julho 2014 Agosto 2014 Setembro 2014 Outubro 2014 Novembro 2014 Dezembro 2014 Janeiro 2015 Fevereiro 2015 Março 2015 Abril 2015 Maio 2015 Junho 2015 Julho 2015 Agosto 2015 Setembro 2015 Outubro 2015 Novembro 2015 Dezembro 2015 Janeiro 2016 Fevereiro 2016 Março 2016 Abril 2016 Maio 2016 Junho 2016 Julho 2016 Agosto 2016 Setembro 2016 Outubro 2016 Novembro 2016 Dezembro 2016 Janeiro 2017 Fevereiro 2017 Março 2017 Abril 2017 Maio 2017 Junho 2017 Julho 2017 Agosto 2017 Setembro 2017 Outubro 2017

This page is powered by Blogger. Isn't yours?Weblog Commenting by HaloScan.com



noites com poemas 2


capa do livro Farândola do Solstício
Obras publicadas
por Jorge Castro

contacto: jc.orca@gmail.com

Autor em

logo Apenas

Colaborador de

logo IELT

Freezone

logo Ler Devagar


Correntes de referência:
80 Anos de Zeca
... Até ao fim do mundo!
Aventar
Encontro de Gerações (Rafael)
É sobre o Fado (João Vasco)
Conversas do Café Grilo
Espaço e Memória - Associação Cultural de Oeiras
Final Cut - o blogue de cinema da Visão
Oeiras Local
O MOSCARDO
Poema Dia
Profundezas

Correntes de proximidade:
A Funda São
Amorizade (Jacky)
A Música das Palavras (Jaime Latino Ferreira)
Anomalias (Morfeu)
Ars Integrata
Ars Litteraria
Ars Poetica 2U
As Causas da Júlia (Júlia Coutinho)
As Minhas Romãs(Paula Raposo)
Belgavista (Pessoana)
Blogimmas
Blogotinha
Bloguices
Câimbras Mentais (AnAndrade)
Carlos Peres Feio
chez maria (maria árvore)
Coisas do Gui
deevaagaar
Divulgar Oeiras Verde (Ana Patacho)
e dixit (Edite Gil)
Fotos de Dionísio Leitão
Garganta do Silêncio (Tiago Moita)
Isabel Gouveia
Itinerário (Márcia Maia)
Metamorfases
Mudança de Ventos (Márcia Maia)
Mystic's
Nau Catrineta
Notas e Comentários (José d'Encarnação)
Novelos de Silêncio (Eli)
Pedro Laranjeira
o estado das artes
Palavras como cerejas (Eduardo Martins)
Parágrafos Inacabados (Raquel Vasconcelos)
O meu sofá amarelo (Alex Gandum)
Persuacção - o blog (Paulo Moura)
Queridas Bibliotecas (José Fanha)
Raims's blog
Relógio de Pêndulo (Herético)
Risocordeluz (Risoleta)
Rui Zink versos livros
Repensando (sei lá...)
sombrasdemim (Clarinda Galante)
Tábua de Marés (Márcia Maia)
Valquírias (Francília Pinheiro)
Vida de Vidro
WebClub (Wind)

Correntes de Ver:
desenhos do dia (João Catarino)
Esboço a Vários Traços

Correntes Auspiciosas:
ABC dos Miúdos
Manifesto-me
Netescrita
Provérbios

Correntes Favoráveis
A P(h)oda das Árvores Ornamentais
Atento (Manuel Gomes)
A Paixão do Cinema
A Razão Tem Sempre Cliente
A Verdade da Mentira
Bettips
Blog do Cagalhoum
Cadeira do Poder
CoeXist (Golfinho)
Congeminações
Crónica De Uma Boa Malandra
Desabafos - Casos Reais
Diário De Um Pintelho
Editorial
Escape da vida...
Espectacológica
Eu e os outros...
Eu sei que vou te amar
Fundação ACPPD
Grilinha
Há vida em Markl
Hammer, SA
Horas Negras
Intervalos (sei lá...)
João Tilly
Lobices
Luminescências
Murcon (de JMVaz)
Nada Ao Acaso
NimbyPolis (Nilson)
O Blog do Alex
O Bosque da Robina
O Jumento
(O Vento Lá Fora)
Outsider (Annie Hall)
Prozacland
O Souselense
O Vizinho
Palavras em Férias
Pastel de Nata (Nuno)
Peciscas
Pelos olhos de Caterina
Primeira Experiência
Publicus
Puta De Vida... Ou Nem Tanto
Santa Cita
The Braganzzzza Mothers
Titas on line
Titas on line 3
Senda Doce
TheOldMan
Traduzir-se... Será Arte?
Um pouco de tudo (Claudia)
Ventosga (João Veiga)
Voz Oblíqua (Rakel)
Zero de Conduta
Zurugoa (bandido original)

Corrente de Escritas:
A Arquitectura das Palavras (Lupus Signatus)
Além de mim (Dulce)
Ana Luar
Anukis
Arde o Azul (Maat)
Ao Longe Os Barcos De Flores (Amélia Pais)
Babushka (Friedrich)
baby lónia
Branco e Preto II (Amita)
Biscates (Circe)
blue shell
Cartas Perdidas (Alexandre Sousa)
Chez Maria (Maria Árvore)
Claque Quente
2 Dedos de Prosa e Poesia
Escarpado (Eagle)
Erotismo na Cidade
Fôlego de um homem (Fernando Tavares)
Há mais marés
Humores (Daniel Aladiah)
Insónia (Henrique Fialho)
Klepsidra (Augusto Dias)
Letras por Letras
Lua de Lobos
Lus@arte (Luí­sa)
Mandalas Poemas
Menina Marota
Novos Voos (Yardbird)
O Eco Das Palavras (Paula Raposo)
Porosidade Etérea (Inês Ramos)
O Sí­tio Do Poema (Licínia Quitério)
Odisseus
Paixão pelo Mar (Sailor Girl)
Palavras de Ursa (Margarida V.)
Palavrejando (M.P.)
Poemas E Estórias De Querer Sonhar
Poesia Portuguesa
Poetizar3 (Alexandre Beanes)
Serena Lua (Aziluth)
Sombrasdemim (Maria Clarinda)
Sopa de Nabos (Firmino Mendes)
T. 4 You (Afrodite)
Uma Cigarra Na Paisagem (Gisela Cañamero)
Xanax (Susanagar)

A Poesia Nos Blogs - equipagem:
A luz do voo (Maria do Céu Costa)
A Páginas Tantas (Raquel)
ante & post
As Causas da Júlia
Cí­rculo de Poesia
Confessionário do Dilbert
Desfolhada (Betty)
Estranhos Dias e Corpo do Delito (TMara)
Extranumerário (GNM)
Fantasias (Teresa David)
Fata Morgana... ou o claro obscuro
Jorge Moreira
MisteriousSpirit (Sofia)
Passionatta (Sandra Feliciano)
Peças soltas de um puzzle
Poemas de Trazer por Casa e Outras Estórias - Parte III
Poesia Viva (Isabel e José António)
Poeta Salutor (J.T. Parreira)
Que bem cheira a maresia (Mar Revolto-Lina)
Sais Minerais (Alexandre)
Silver Soul
Sombra do Deserto (Rui)

Navegações com olhos de ver:
Em linha recta (lmatta)
Fotoescrita
gang00's PhotoBlog
Nitrogénio
Objectiva 3
Pontos-de-Vista
Rain-Maker
O blog da Pimentinha (M.P.)
Passo a Passo
Portfólio Fotográfico (Lia)
Words (Wind)

Já navegámos juntos...
Aliciante (Mad)
A Rádio em Portugal (Jorge G. Silva)
Atalhos e Atilhos
Cu bem bom
Encandescente
Geosapiens
Incomensurável
Isso Agora...
Letras com Garfos (Orlando)
Luz & Sombra
Pandora's Box
Pés Quentinhos
Praça da República em Beja (nikonman)
SirHaiva
Testar a vida
Tuna Meliches

Correntes de Consulta:
Abrupto
A Lâmpada Mágica
Aviz
Blogopédia...
Bloguítica
Contra a Corrente
Contra a Corrente
Conversas de Merda
Cravo e Canela
Do Portugal Profundo
Inépcia
Médico explica medicina a intelectuais
Oficina das Ideias
Portugal No Seu Pior
Professorices
República Digital
Retórica e Persuasão
Ser Português (Ter Que)
You've Got Mail

Correntes interrompidas:
A Nau Catrineta (zecadanau)
Aroma de Mulher (Analluar)
A Voz do Fado!
blog d'apontamentos (Luí­s Ene)
Catedral (ognid)
Cidadão do Mundo
Conversas de Xaxa 2
CORART - Associação de Artesanato de Coruche
Cumplicidades (Maria Branco)
Flecha
Fraternidades (Fernando B.)
Ilha dos Mutuns(Batista Filho)
Histórias do mundo (Clara e Miguel)
Lazuli (Fernanda Guadalupe)
luz.de.tecto (o5elemento)
Letras ao Acaso
Madrigal - blog de poesia
Mulher dos 50 aos 60 (Lique)
O Mirmidão
O soldadinho de chumbo
Palavras de Algodão (Cris)
podiamsermais (Carlos Feio)
Poemas de Manuel Filipe
Porquinho da Índia (Bertus)
Um Conto à Quinta
Xis Temas (António San)

noites com poemas